quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Se o presidente quiser, acaba com a poluição do rio Noéme já amanhã

No último Dia da Cidade o presidente da Câmara da Guarda anunciou com pompa e circunstância dois projectos ambientais no valor de 3 milhões de euros. Façam-se! Trarão certamente algo de muito bom para o concelho mas para já são apenas estudos prévios.

Mostrando-se o vídeo dos "Passadiços do Mondego" abundantemente partilhado nas redes sociais, apresentava-se também o "estudo prévio para a despoluição dos rios Diz e Noéme". Deste segundo projecto de estudo prévio sabe-se pouco. Provavelmente na sessão solene tenha sido mostrado algo mais mas não se encontra disponível, pelo menos à data em que este texto é escrito. Tenho partilhado muitos vídeos sobre o rio Noéme neste blogue... não mostram nada de bonito sobretudo para se apresentar em dia de festa, opte-se por isso por uma maquete.

No último Dia da Cidade do seu mandato (possivelmente o último que presidirá), o melhor que tem a anunciar sobre a poluição do rio Noéme é a apresentação de um estudo prévio e a previsão de que a sua implementação poderá demorar 4, 5 anos. Passados três anos, é o que temos. Mesmo que se conheça o problema, construída uma Estação-Elevatória para ligação de efluentes industriais à ETAR de São Miguel e gasto dinheiro dos contribuintes.

Quando digo que este pode ter sido o último Dia da Cidade a que presidirá, faço-o na convicção de que se recandidatará e que será derrotado pelos Cidadãos da Guarda. Político profissional que é, espero que não fuja por tacticismo para outro município mas que vá a votos neste concelho. Espero um levantamento ("um basta!") veementemente expresso das urnas por parte dos Cidadãos da Guarda. A cumplicidade com o crime ambiental que acontece no rio Noéme tem de ter consequências.

Volto a repetir o que aqui escrevi noutro post: o único candidato/presidente possível e adequado à Câmara Municipal da Guarda será aquele "que sem peias de tipo algum possa na campanha afirmar inequivocamente que no primeiro dia de mandato fechará a conduta municipal que despeja efluentes industriais no rio junto à Gata" e o faça quando chegar ao poder.

De qualquer forma o actual presidente da Câmara da Guarda ainda tem uma oportunidade. Se quiser, amanhã mesmo poderá começar a despoluir o rio Noéme: se mandar encerrar a conduta que despeja efluentes industriais no rio. Nem serão precisos ajustes directos para isso.

"Despoluição do rio Noéme: medidas compensatórias para as freguesiasribeirinhas", in A Guarda

Concordo totalmente que as freguesias afectadas por décadas de poluição sejam compensadas.


terça-feira, 27 de dezembro de 2016

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

"PS elogia projectos ambientais camarários", in A Guarda

O PS que aplaude sem questionar o projecto de estudo prévio para a despoluição do rio Noéme, é o PS que nos mandatos anteriores nada fez para resolver o problema. Bloco Central no seu melhor.



sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Assembleia Municipal da Guarda

Na última assembleia municipal bateram todos palmas aos projectos ambientais ou também perguntaram porque não é fechada a conduta que despeja no rio Noéme?

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

"Como ter um Natal mais amigo do Ambiente?" in Green Savers

Aos conselhos da lista aqui publicada, acrescentaria outro: não despejar resíduos domésticos ou industriais nos nossos rios e ribeiras.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Guarda Cidade Natal

Os camelos e os Reis Magos já foram visitar o rio Noéme?

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Descarga poluente no rio Noéme - 26/11/2016

Enquanto não chegam os estudos prévios, mais uma descarga poluente no rio Noéme:

Gata, 26/11/2016
Vídeo da Quercus Guarda


segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Primeiro comentário à apresentação dos projectos ambientais

Na sessão solene do 817º aniversário da atribuição do Foral à Guarda por Dom Sancho I foram apresentados dois projectos de estudo prévio na presença do Ministro do Ambiente. Não estive presente e baseio-me somente neste vídeo para tecer algumas considerações:

- Onde posso consultar a apresentação do professor Pedro Teiga sobre a despoluição do rio Noéme e Diz?

- Sobre o projecto dos "Passadiços do Mondego" ainda há um vídeo promocional (abundantemente partilhado nas redes sociais); sobre a despoluição do rio Diz e Noéme não encontro nada.

- Álvaro Amaro a dizer que isto são projectos para 4 ou 5 anos, no caso concreto da despoluição do rio Diz e Noéme só pode ser brincadeira. Durante esse tempo vai continuar a haver descargas poluentes na conduta da Gata?

- Pareceu-me pela declaração que fez, que o Ministro do Ambiente não percebeu muito bem o que está a acontecer no rio Noéme e na conduta existente na Gata.

- Houve um tempo em que se prometia obra; agora prometem-se estudos prévios.

De resto são duas ideias boas e espero se concretizem rapidamente. A Guarda teria muito a ganhar com isso. Até lá, aguardamos mais informação.

O vencedor do passatempo "Crónicas do Noéme / Dia da Cidade" é...

Todos os concorrentes acertaram nas respostas às perguntas, mas o primeiro a responder chama-se Miguel Lourenço e já foi contactado para receber o prémio.

As respostas do vencedor:

1 - Nasce no Concelho da Guarda.
2 - 2009.
3 - Cumpre 817 anos como cidade, porque se for como povoamento, sabe Deus...



domingo, 27 de novembro de 2016

Passatempo "Crónicas do Noéme / Dia da Cidade da Guarda"

As perguntas do passatempo são as seguintes:

1. Em que concelho nasce o Rio Noéme?
2. Qual o ano de início de publicação do blogue "Crónicas do Noéme"?
3. Quantos anos faz a Cidade da Guarda?

Boa sorte!

Passatempo "Crónicas do Noéme / Dia da Cidade da Guarda"

As perguntas do passatempo são as seguintes:

- Em que concelho nasce o Rio Noéme?
- Qual o ano de início de publicação do blogue "Crónicas do Noéme"?
- Quantos anos faz a Cidade da Guarda?

Boa sorte!

sábado, 26 de novembro de 2016

Uma palavra sobre o Noéme

Disseram-me que Álvaro Amaro, em declarações ao Terras da Beira desta semana, terá deixado em aberto uma declaração sobre o rio Noéme no Dia da Cidade. Sabe-se também que estará presente o Ministro do Ambiente e que serão apresentados "projectos ambientais".

Ora bem: se não for anunciado que a conduta que despeja no rio Noéme será encerrada imediatamente, então estaremos perante "a montanha a parir um rato".

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Dia da Cidade


A apresentação dos projectos ambientais vai ser junto à fossa que despeja no rio Noéme?

Vai o Ministro do Ambiente finalmente conhecer o maior crime ambiental do concelho da Guarda?


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Passatempo "Crónicas do Noéme / Dia da Cidade da Guarda"

No próximo dia 27 de Novembro comemora-se o 817 aniversário da atribuição do Foral à Guarda, por Dom Sancho I.

Para assinalar a data, ofereço 1 exemplar do livro "Guarda os produtos de cá" (da minha autoria) ao primeiro(a) que no dia 27 de Novembro (próximo domingo) responder acertadamente às questões que serão publicadas nesse dia no blogue. 

Contarão as participações enviadas até às 23:59 de domingo para a caixa de comentários do blogue ou para o email marciofilipefonseca@gmail.com.

domingo, 20 de novembro de 2016

Comunicação institucional

Se quem gere a página de Facebook do Município da Guarda também tomasse conta do email da Presidência, havia de certeza mais emails respondidos e mais Munícipes esclarecidos.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

"Economia verde" na Guarda

Na Guarda o conceito de "Economia Verde" tem outro significado: há quem faça negócio de facto com o abate de árvores, o corte de sebes ou com a poluição do rio Noéme.

Originalidades.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Tanto ajuste directo...

... tem feito a Câmara Municipal da Guarda e nenhum beneficiou o rio Noéme.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Porque não vai cortar silvas, senhor presidente?

Em campanha eleitoral, o actual presidente da Câmara Municipal da Guarda prometeu "alindar" a cidade. Em vez disso vemo-lo numa saga persecutória contra sebes e árvores que já existiam muito antes de ele chegar, apresentando alternativas de gosto e usabilidade discutíveis. Dedicasse ele tanto tempo e energia à despoluição do rio Noéme...

Porque não aproveita, senhor presidente, para em vez disso ir cortar as silvas e giestas dos caminhos e valetas do concelho da Guarda?


quinta-feira, 13 de outubro de 2016

"Houve um aumento de banhistas este Verão nas praias fluviais do concelho da Guarda", in Rádio F

A Rádio F noticiou que em Valhelhas e em Aldeia Viçosa o número de banhistas aumentou nas praias fluviais. 

Uma óptima notícia para o concelho da Guarda, que poderia ser ainda melhor se o rio Noéme estivesse despoluído. 


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

"A Câmara da Guarda é um exemplo a nível nacional", in Rádio F


Quase que ia deixando passar este título de uma notícia de Agosto transmitida na Rádio F:
“A CÂMARA DA GUARDA É UM EXEMPLO A NÍVEL NACIONAL”.

Concordo com a afirmação do vice-presidente da Câmara Municipal: um exemplo de incúria a cuidar dos recursos ambientais, um exemplo de como não se deve proceder, um exemplo de uma Câmara que não defende os Cidadãos, um exemplo de uma Câmara que pactua com um crime ambiental.

domingo, 9 de outubro de 2016

Que conhecimento produziu, senhor presidente?

Durante anos a Câmara Municipal da Guarda teve uma profícua actividade editorial. De qualidade, diga-se. Divulgou as tradições, deu a conhecer as nossas gentes, documentou a nossa história... Com perfis diferentes e para vários públicos foram diversos os temas que de outra forma não veriam a luz do dia. Foram publicadas obras de referência ao longo dos anos. Em suma, produziu e deixou conhecimento para as gerações vindouras.

Senhor presidente: e no seu mandato, para além das patuscadas, o que deixa?

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Implantação da República

"Desde a Revolução Francesa que a árvore é tida como símbolo da Liberdade. Há 100 anos apelava-se aos valores ambientais que hoje desprezamos. O gigantesco tronco do plátano do Rochoso é um pilar forte da Cidadania. Os seus ramos, braços envolventes."

Em 2010, ano do centenário da Implantação da República, contei a história de uma Árvore numa crónica transmitida na Rádio Altitude e também aqui publicada. Falava na preocupação ambiental, da cidadania e do ensino por parte do novo regime.

Hoje, voltamos a comemorar o feriado. Estará a República a cuidar do Ambiente como devia?




quinta-feira, 29 de setembro de 2016

"Arouca: renascer junto ao rio indomável", de Viriato Soromenho-Marques in Diário de Notícias

"Arouca tem baseado a sua política municipal numa aliança entre património ecológico e património geológico. O museu das tribolites, as pedras parideiras, a queda de água da Mizarela, ou a serra da Freita, fazem parte da iconografia de um território que conquistou o privilégio de pertencer ao restrito clube da rede global dos Geoparques da UNESCO. Mas os Passadiços do Paiva são a marca por excelência da capacidade de não sucumbir aos golpes, por mais duros que sejam."

Modos diferentes de pensar o Ambiente e encarar os problemas: perante a tragédia a Câmara Municipal agiu de imediato e reabriu 4 km de troço dos Passadiços do Paiva.

Pode ler-se a notícia completa aqui.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

E a poluição no rio Noéme, senhor presidente, também é uma rasteira à Guarda?

Álvaro Amaro, presidente da Câmara Municipal da Guarda, considera a providência cautelar para evitar o abate de árvores no Parque Municipal "uma rasteira à Guarda". Refere ainda que "o protesto é político e não vai reavaliar nada".

Numa conferência de imprensa convocada para reagir à decisão do Tribunal, está resumido todo um mandato autárquico e toda uma postura do poder vigente.

Sobre o Noéme não fala. Sobre o Noéme esconde-se. Talvez seja também uma rasteira à Guarda.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Quantas ribeiras tem a Guarda, senhor presidente?

Temos escutado muito pouco sobre Ambiente neste último mandato autárquico. E quando se ouviu alguma coisa foi por más razões: lembro-me de repente do abate das árvores da Avenida Cidade de Salamanca e recentemente do Parque Municipal ou do continuado adiamento e conivência face ao crime perpetuado contra o rio Noéme.

Creio mesmo que Álvaro Amaro nunca fez alguma proclamação, nem mesmo bacoca, sobre planeamento do território, valorização dos produtos endógenos, agricultura, protecção do ambiente e meio rural. Ou o que fazer desta terra tão rica, mesmo quando a tentam fazer pobre. 

Será por desinteresse ou por falta de conhecimento? Ao fim de quase um mandato, mesmo caindo de para-quedas na Guarda, já teve tempo de conhecer um pouquinho mais do concelho que governa fora das patuscadas que tem patrocinado.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

O crime do Noéme só se resolve se...

- As freguesia afectadas tiverem coragem de boicotar as eleições até deixar de haver descargas poluentes;

- Um presidente em exercício perder as eleições por causa disso;

- Algum Tribunal pegar no assunto e castigar exemplarmente os culpados.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Os significados da "Mão" (2)


Quisessem os poderes e a Mão também poderia significar um "alto e pára o baile". Um "BASTA!" de impunidade.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

"A descarga deliberada", in Sinais (TSF) de Fernando Alves

"Os casos de crime ou de negligência ambiental nos rios portugueses não são águas passadas", conclui a crónica emitida hoje.

Subscrevo, evidentemente.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

"O RIO" de Jez Butterworth, encenação de Jorge Silva Melo da companhia Artistas Unidos

"E no dia seguinte voltei ao rio, tirei as minhas roupas e mergulhei, procurei os peixes e não os consegui encontrar mas quando voltei à tona estava a segurar alguma coisa. Outra coisa." - Jez Butterworth, O Rio


"Um pescador sem nome traz uma mulher sem nome até à sua cabana perto do rio. Ele diz à mulher que a ama e que nunca tinha trazido ninguém àquele lugar. Estranhamente, parece-nos que está a declarar-se a duas mulheres de uma só vez. Será que é com a memória de uma mulher que ele fala? Pode essa memória transformar-se? Numa meditação onírica sobre o amor e a saudade, Jez Butterworth torna visíveis os fantasmas de um passado mutável como o fluxo do rio.", pode ler-se no site.

Esta peça de teatro dos "Artistas Unidos", encenada por Jorge Silva Melo, estreará dia 14 de Setembro e estará em cena no Teatro da Politécnica até 22 de Outubro. Lá estarei, se não na estreia, numa das apresentações seguintes.

Os significados da "Mão" (1)


A Mão que anuncia terra franca, onde todo o tipo de crimes contra o ambiente podem ser cometidos?

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Lavar a mão no Noéme


Ou simplesmente lavar as mãos e deixar continuar o crime.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Carta aberta ao presidente da Câmara Municipal da Guarda

Conta-se que um dia Jean Monnet, já velhote, pediu a um seu trabalhador que plantasse um carvalho na quinta onde vivia. O trabalhador alertou que se deveria plantar outro tipo de árvore, de crescimento mais rápido, porque já não era jovem e corria o risco de não ver o carvalho medrar. "Plante-se ainda antes da hora de almoço", disse sem hesitar o ancião ao trabalhador.

Estamos a entrar no último ano do seu mandato autárquico e não conseguiu ou não teve vontade de arranjar uma solução para despoluir o rio Noéme. Sendo o problema complexo, tinha de ter sido a primeira prioridade. Contam-se pelos dedos de uma mão as suas intervenções sobre o assunto; quanto aos actos concretos, falam por eles as descargas poluentes que fomos testemunhando. Nunca foi para si senhor presidente algo de importante a fazer. Inexplicavelmente ou talvez não.

Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento informaram-nos em Agosto (de 2015!!) que já estaria instalado um painel de sondas para medição do efluente da fábrica de forma a puder ser conduzido para a ETAR de São Miguel. Faltariam uns ajustes definitivos... Passou um ano e continuamos sem saber em que estado está o processo mesmo com repetidos pedidos de esclarecimento.

Diga-nos senhor presidente: até quando teremos de continuar a moer-lhe o juízo com este assunto? Ou está convencido que este problema não estará na memória das pessoas na altura de depositarem o voto na urna?

(Carta enviada por email ao presidente da Câmara Municipal da Guarda, no dia 3 de Setembro de 2016)

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Quanto do dinheiro gasto em rotundas daria para a despoluição do rio Noéme?

O presidente da Câmara da Guarda encontrou um novo de modelo de desenvolvimento regional e tem apostado fortemente na ornamentação de rotundas e respectiva inauguração com pompa e circunstância. Abra-se um qualquer jornal da década de 80 e reconheceremos nas fotografias o estilo e as pífias figuras, com claro prejuízo neste caso para a Guarda.

Também o rio Noéme continua poluído apesar do dinheiro despejado pela CEE para que se escondessem e tratassem as misérias. Gente asseada não podia continuar a despejar o penico ora na rua, ora no ribeiro. O penico doméstico talvez, porque o industrial continuou a ter como destino as águas do rio. Num Verão em que tanto se falou de sanções e de castigos, não seria má ideia que alguém pusesse mão nisto.

Se rios poluídos e rotundas são coisa dos anos 80 o mesmo não acontece com os recursos financeiros. Não há neste momento o dinheiro que naquela época chegava todos os dias a Portugal. Sendo assim é necessário fazer escolhas e questionar qualquer cêntimo gasto pela Câmara Municipal da Guarda. Seja 10 ou seja 1000, urge perguntar: 

- A quem serve isto? 
- O que se faria com este dinheiro aplicado em planeamento ambiental e do território e concretamente na despoluição do rio Noéme?



segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Custe o que custar, gostem ou não os beneficiados

Mais do que palavras vãs de campanha eleitoral (olhe que ainda falta um ano senhor presidente!), gostaria que Álvaro Amaro pusesse fim às descargas poluentes na conduta municipal da Gata e despoluísse o rio Noéme.

"Custasse o que custasse; gostassem ou não os beneficiados".

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Massimo Livi Bacci: “Si cuidamos la Tierra, aún cabemos muchos más”, in El Pais

Na entrevista que o demógrafo italiano Massimo Livi Bacci dá ao jornal El País pode ler-se a dada altura:


"As previsões apontam para que em 2100 a população mundial chegue aos 10000 milhões.. 
11000, 10000,9000, por aí.


E é sustentável?
Creio que sim, temos e de cuidar do planeta. Mais de metade da superfície da Terra está modelada por humanos directa ou indirectamente: cidades, áreas industriais, infra-estruturas mas também cultivos, pastos e alguns bosques. Com 4000 milhões mais, este processo pode acelerar e é necessário tomar medidas, em primeiro lugar tratar do problema do uso do solo, não se pode gastar todo. Creio que poderá viver muita mais gente na Terra desde que o planifiquemos bem."


Estaremos a cuidar do planeta e a planificar/organizar os recursos existentes?










segunda-feira, 29 de agosto de 2016

"Parque Ribeira do Uíma: ecologia e sustentabilidade de mãos dadas", in Greensavers

"O corredor ecológico do Uíma, concelho de Santa Maria da Feira, vai ser palco de um projecto de teatro sensorial. No dia 10 de Setembro, entre as 9h30 e as 22h00, qualquer visitante poderá assistir e participar num programa de intervenção comunitária baseado na bio-construção", pode ler-se aqui.

Ambiente e Artes de mãos dadas. A Comunidade a fruir os espaços, tão diferente do que acontece por cá.

sábado, 27 de agosto de 2016

Facebook no Município das Maravilhas

A página do Facebook do Município da Guarda propagandeia as águas límpidas e cristalinas das praias fluviais de Valhelhas e Aldeia Viçosa. Um frequentador menos conhecedor dessa página poderá ser levado a concluir que este é um concelho ambientalmente exemplar. Nada mais falso.

Em contraste com a actividade frenética nas redes sociais, o executivo camarário não presta esclarecimentos à população sobre o que se passa no rio Noéme, nem  sequer quando solicitado como tem sido o caso. 

A actividade de uma Câmara Municipal avalia-se pelo que faz e não faz, pelo que diz e deixa de dizer.







quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Ajustes directos e despesa pública

Quantos ajustes directos são necessários para despoluir o rio Noéme?

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Tony Carreira e despesa pública

Quantos Tony Carreira são necessários para despoluir o rio Noéme?

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Água

A minha profunda admiração por estes antigos e bravos homens, que abriam, à força de braços,  o ventre da terra com o brio de quem constrói uma casa para encontrarem uma mão cheia de água que regasse uma baixa de batatas ou de milho sustento de um ano inteiro.


quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Rio Irvi (Sardenha)



O rio Irvi na Sardenha vítima da exploração mineira. Lá como cá, o Homem tudo destrói onde mete a pata. Pode ler-se a história deste desastre ambiental aqui.

(Fotos enviadas pela Cinzia e pelo Nuno, que mesmo no idilio Sardo tiveram lembrança amiga. Ainda havemos de fruir do Noemi um dia. Bem-hajam!)

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

"Los 10 principales tesoros fluviales de España", in El Pais

Noutros lados protegem-se os rios, por cá vão-se destruindo. Prioridades e sensibilidades diferentes.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Pedidos de esclarecimento

Face à ausência de resposta da Águas de Lisboa e Vale do Tejo e do SMAS Guarda, reforcei por email às referidas entidades o conjunto de questões que aqui e aqui publiquei.

O rio Noéme continua poluído; as descargas poluentes continuam; as entidades oficiais são cúmplices do crime ambiental.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Pedido de esclarecimento enviado ao SMAS Guarda (04 de Agosto 2016)

Na informação que me foi prestada por email de 11 de Agosto de 2015 era referido no ponto 3 do mesmo: 

"A empresa, Têxtil Manuel Rodrigues Tavares – TMRT, pediu um tempo de adaptação ao sistema referido acima mencionado, dado que, estavam a instalar novos equipamentos na sua EPTAR, pelo que continuamos a aguardar os ajustes definitivos, que serão efetuados no  mais curto espaço de tempo."

Visto que ao longo do ano se verificou que as descargas poluentes continuaram, sendo a última documentada de 7 de Julho de 2016, remeto-vos novamente as seguintes questões:

1. Qual o ponto de situação do referido processo?

2. Há alguma data prevista para entrada em funcionamento da Estação-Elevatória Quinta da Granja e transferência dos efluentes para a ETAR de São Miguel?

3. O que está em falta para que tal não aconteça? De quem é a responsabilidade?

4. Está prevista a selagem da conduta municipal que despeja no rio Diz, junto à localidade da Gata? Para quando?

5. Gostaria de solicitar cópia dos protocolos estabelecidos entre os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento da Guarda, a Águas do Zêzere e Côa e a Têxtil Manuel Rodrigues Tavares, relativos ao encaminhamento dos efluentes da referida empresa têxtil para a ETAR de São Miguel através da Estação-Elevatória da Quinta da Granja. O documento que refiro, é um ofício (protocolo, contrato, minuta...) datado de 04 de Novembro de 2010, assinado pela AdZC, CMG e TMRT e enviado à ARH Norte. Fui informado da existência desse documento pela ADZC em email datado de 18 de Junho de 2014 em resposta a um conjunto questões que coloquei.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Pedido de esclarecimento enviado à Águas de Lisboa e Vale do Tejo (04 Agosto 2016)

Em relação ao encaminhamento dos efluentes industriais da empresa Têxtil Manuel Rodrigues Tavares para a ETAR de São Miguel através da Estação Elevatória Quinta da Granja e a poluição do rio Noéme gostaria de colocar as seguintes questões:

1. Os efluentes da empresa Têxtil Manuel Rodrigues Tavares já estão a ser reencaminhados para a ETAR de São Miguel através da Estação-Elevatória Quinta da Granja?

2. Há alguma data prevista para o início dessa operação?

2. Qual o ponto de situação deste processo?

3. Já foi feito o estudo sobre o tipo de efluentes que serão tratados e em que quantidades? 

4. Os protocolos assinados entre a Águas do Zêzere e Côa, Câmara Municipal da Guarda e Fábrica Têxtil Manuel Rodrigues Tavares são públicos? Como posso obtê-los para divulgação pública?


As resposta a estas questões serão publicadas no blogue Crónicas do Noéme

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Para pensar


Sabiam que a Natureza demora 450 anos a reciclar uma fralda? E uma garrafa de água? E uma beata? Agora imaginem um rio continuamente agredido.

domingo, 24 de julho de 2016

Há Pokémons no rio Noemi...



... é preciso é para pararem as descargas despoluentes para se encontrar.

sábado, 23 de julho de 2016

Assembleia Municipal da Guarda | 2016-06-30


Aos 30 minutos, o amigo Mário Martins interveio na Assembleia Municipal para falar sobre Ambiente e a poluição do Rio Noemi.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Um ano depois

Passado um ano, esta carta não teve resposta. 
Sobre o crime do rio Noéme as entidades oficiais não podem alegar desconhecimento. São por isso cúmplices.

terça-feira, 12 de julho de 2016

"Secretário de Estado do Ambiente: sede da ALVT na Guarda «não foi factor de desenvolvimento»", in Rádio Altitude

Sobre este tema e relacionado com a poluição do rio Noéme, tenho a dizer o seguinte: a Águas do Zêzere e Côa prestavam esclarecimentos à população. Por diversas vezes, presencialmente ou por email, pedi e recebi informações. Esta nova entidade simplesmente não responde.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Descarga poluente no Rio Noéme (07 de Julho de 2016)

Quem estiver interessado em ver ao vivo o que é poluição a sério, pode ir à Gata ao sítio do costume, pois ainda está a ocorrer. Se alguém não souber ainda o local exacto, basta dirigir-se à rotunda de acesso da A23 e seguir o cheiro intenso que se faz sentir. Deixo aqui uma pequena amostra:


Descarga poluente no rio Noéme
Local: Gata
Data/Hora: 07 de Julho de 2016 (em curso)


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Quem parte e reparte

... ou é burro ou não tem arte.
À mesa dos compartes quem tem ficado sempre com a pior parte são os Cidadãos do Noéme.

terça-feira, 21 de junho de 2016

"O artesão de tesouras e o ecossistema", in Sinais (TSF)

A crónica diária de Fernando Alves, sobre Mateus Miragaia, do Jarmelo, o último fabricante de tesouras de tosquiar. A partir de uma notícia da Lusa de António Sá Rodrigues.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

domingo, 5 de junho de 2016

segunda-feira, 23 de maio de 2016

"As novas aventuras de Cousteau", in Visão

Neste interessante artigo da Visão a propósito do documentário de Alexandra Cousteau, "For the Love of Fashion", é dito a dada altura que "podemos prever as cores da próxima estação pela cor dos rios na China". O documentário tem como tema a poluição das águas causada pelo tingimento do algodão usado nas roupas.

Se os rios da China nos dizem as cores que se vão usar na próxima estação, então o que diz o rio Noéme sobre a indústria e os empresários da Guarda; sobre os políticos e sobre a sociedade?




terça-feira, 17 de maio de 2016

Candidato à Câmara Municipal da Guarda

Alguém que sem peias de tipo algum possa na campanha afirmar inequivocamente que no primeiro dia de mandato fechará a conduta municipal que despeja efluentes industriais no rio junto à Gata, terá com certeza um bom perfil para o cargo.

Não precisa de grandes proclamações sobre Ambiente ou despoluição em geral. Só isso: que vai fechar a conduta. Fazendo-o, respirar-se-à melhor (naquele local, como na Guarda).

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Crónicas do Noéme - 7 anos

"Se todos os rios são doces, de onde o mar tira o sal?
Como sabem as estações do ano que devem trocar de camisa?
Por que são tão lentas no inverno e tão agitadas depois?
E como as raízes sabem que devem alçar-se até a luz e saudar o ar com tantas flores e cores?
É sempre a mesma primavera que repete seu papel?
E o outono?... ele chega legalmente ou é uma estação clandestina?"

                                                                                                                   Pablo Neruda

Expôr o absurdo de existir um rio poluído há mais de trinta anos na Guarda, num Portugal supostamente europeu. Retirar da clandestinidade um local de descargas poluentes frequentes. Dar nome aos protagonistas, às coisas, tornar as situações tema de conversa.

As grandes religiões têm a água como fonte de vida e os rios como lugares sagrados. Qualquer pessoa, mais ou menos devota, mais ou menos apreciadora do belo, mais ou menos sensível, mais ou menos instruída considera um rio poluído um atentado. Uma anormalidade. Uma aberração.

Ainda assim, há quem tome este rio como coutada sua e há quem permita que isso aconteça. Um dia mais em que ocorra uma descarga poluente no rio, é um dia mais em que a Natureza violentada não se regenerará.

Este rio chama-se Noemi e é nosso como o foi dos nossos antepassados. Por ele se iniciou esta luta e continuará. Foi há sete anos, como poderia ter sido há trinta. Continuará enquanto não voltar a ser de todos.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

"Urgentemente", Eugénio de Andrade

"É urgente inventar a alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras."

Eugénio de Andrade

sábado, 7 de maio de 2016

Um PM na Guarda (2)

Terá vindo um chefe indígena despoluir o rio Noéme?


Foto retirada do jornal O Interior online.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Um PM na Guarda

Há um ano escrevi sobre a visita do então Primeiro-Ministro à Guarda para inauguração da Feira Ibérica de Turismo (FIT). Agora o Primeiro-Ministro é outro, mas também vem inaugurar a FIT.

Então como agora (no fim-de semana passado) continuam as descargas poluentes no rio Noéme.


domingo, 17 de abril de 2016

O Guardião do Rio

“Um rio – conta-nos o empolgado protagonista – é uma entidade caprichosa e poderosa, capaz de irrigar campos, mas também de arrasar tudo no seu caminho. Uma barragem pode moldar-lhe o feitio e proteger a Aldeia de Baixo. Mas, dilema, se retiver demasiada água arrisca-se a inundar a Aldeia de Cima. Para o evitar, os anciões dos dois povoados, numa conversa diplomática com civilizadas evocações de cachaporra, criaram o cargo de Guardião do Rio, função que consiste em fixar atentamente, vinte e quatro horas por dia, o nível da água e abrir a torneira ao mínimo sinal de cheia. Não é uma profissão tecnicamente difícil, mas é muito absorvente, muito, muito solitária. O Guardião não pode ausentar-se…” 

O Teatro da Palmilha Dentada apresentou a peça “O Guardião do Rio” no Teatro Municipal da Guarda, em Fevereiro último. Esta peça é marcadamente politica (mais ainda na Guarda) e merecia que tivesse havido debate sobre o tema antes ou depois da apresentação da mesma (não soube que tivesse acontecido). 

Em 2016 existe na Guarda um rio poluído que se chama Noémi. Digo que esta peça é política pois nesta cidade, neste concelho, os representantes eleitos pelos Cidadãos para serem “guardiães do rio” demitem-se desta função e deixam que ele continue a ser destruído. A Comunidade delegou o poder de guardar as nossas coisas num executivo camarário que não tem cumprido com essa obrigação. 

Ser Guardião do Rio implica gostar dele, senti-lo como seu, ter lá os seus afectos. Ora, Álvaro Amaro, presidente da Câmara com mais de meio mandato cumprido, apareceu por cá nas últimas autárquicas sem qualquer ligação anterior à Guarda, afinidade pela cidade ou o concelho e quando terminar o mandato irá embora. Não se lhe conhecia qualquer actividade, ideia, familiaridade ou relação com a cidade e o concelho. É de Gouveia, foi presidente e aplica as mesmas fórmulas cá como lá ou como faria (fará) se fosse (for) governar outro qualquer concelho do país. Lembro-me dele na política desde os Governos de Cavaco Silva. Não lhe diz nada o Rio Noéme, como não lhe diziam os cedros cortados na Avenida Cidade de Salamanca. Faz na Guarda aquilo que não fará nunca na sua terra. 

Para já e em mais de meio mandato cumprido o melhor que tem a dizer sobre a poluição do rio Noéme é: “vamos reunir as partes.” que grosso modo significa que fará como os seus antecessores: nada! Mais um mandato perdido, mais quatro anos com o rio a continuar poluído. Faz realmente falta um Guardião do Rio.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

E as partes já reuniram?

A 26 de Fevereiro era intenção de Álvaro Amaro reunir as partes. Desde então não se soube mais nada.

Que aconteceu às partes?

terça-feira, 12 de abril de 2016

"O que é o ciclo urbano da água? (com vídeo)", in Green Savers

"Para o consumidor, tudo começa no momento em que ele abre a torneira e a água, potável, sai a grande pressão. No entanto, este é o culminar de um longo processo que envolve milhares de pessoas,em Portugal, que contribuem, de forma organizada e sistemática, para que este recurso natural indispensável à nossa sobrevivência chegue em condições ambientalmente seguras às nossas cozinhas e casas de banho.

Mas o ciclo urbano da água não começa aqui: o recurso natural tem de ser devolvido em segurança ao meio hídrico, o que é assegurado através de mais um demorado processo, desta vez nas ETAR."

Pode ler-se o resto do artigo e ver o vídeo aqui.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

"Guarda as ribeiras de cá", in revista Zimbro

Dei conta agora, que nunca cheguei a publicar aqui o artigo que escrevi em Dezembro de 2014 para a revista Zimbro, da Associação Amigos da Serra da Estrela sobre a poluição do rio Noéme.

segunda-feira, 28 de março de 2016

segunda-feira, 21 de março de 2016

Dia Mundial da Poesia - 21 de Março

Passagem

Com que palavras ou que lábios
é possível estar assim tão perto do fogo
e tão perto de cada dia, das horas tumultuosas e das serenas,
tão sem peso por cima do pensamento?

Pode bem acontecer que exista tudo e isto também,
e não só uma voz de ninguém.
Onde, porém? Em que lugares reais,
tão perto que as palavras são de mais?

Agora que os deuses partiram,
e estamos, se possível, ainda mais sós,
sem forma e vazios, inocentes de nós,
como diremos ainda margens e diremos rios?

Manuel António Pina

Dia Mundial da Água - 22 de Março


quinta-feira, 10 de março de 2016

"Empresário recebe dinheiro para despoluir rio que é suspeito de contaminar", in Expresso

Em Braga como na Guarda: o bicho Homem a destruir a Natureza e a tirar partido disso. Pode ler-se a notícia do Expresso aqui.

quarta-feira, 9 de março de 2016

Ciclo "As 3 Ecologias" no Teatro Maria Matos

"Em 1989, num ensaio intitulado Les Trois Écologies [As Três Ecologias], o filósofo francês Félix Guattari escreveu sobre a interligação entre três dimensões ecológicas: a pessoal, a social e a ambiental. A transição que já começou e que urge continuar a fazer em direção à sustentabilidade ecológica e social implica o reconhecimento da ligação íntima e da ação recíproca que estes três campos de experiência exercem uns sobre os outros. O ciclo As 3 Ecologias, parte desta interligação e reúne projetos artísticos, debates, workshops e encontros, focando-se no modo como as nossas ações quotidianas podem dar forma e influenciar a sociedade em direção a um maior equilíbrio entre o comportamento humano e o ecossistema natural."


Ciclo 3 Ecologias para se pensar e debater a relação do Homem com a Natureza.
De 8 de Março a 25 de Abril no Teatro Maria Matos em Lisboa.


terça-feira, 8 de março de 2016

Mistérios da Guarda

O rio Noéme estar poluído há tanto tempo é um dos maiores mistérios da política da Guarda.

quinta-feira, 3 de março de 2016

Senhor presidente, este conselho dou-lho de borla

Senhor presidente, se quer efectivamente despoluir o rio Noemi feche a conduta municipal que despeja os efluentes industriais no rio Diz, junto à Gata. Ao mesmo tempo peça aos técnicos da Câmara Municipal para irem ao terreno e que percorram o rio a pé em busca de outras outras descargas poluentes, sejam das ETAR ou não. Se acaso as houver, que chamem imediatamente a GNR.

Só depois reúna as partes, vai ver que tirará mais proveito da discussão e demorará certamente menos tempo a resolver o problema. Isso claro, se quiser efectivamente resolvê-lo pois se for só para empatar mais uns tempos reúna somente as partes como anunciou que ia fazer.

Se quiser ser lembrado como o presidente que despoluiu o Noemi faça como lhe digo. Senão, ficará como o presidente dos foguetes e do abate das árvores da Guarda. Este conselho, Senhor Presidente, dou-lho de borla, poupo-lhe o tempo de fazer um procedimento de adjudicação directa para o efeito.

terça-feira, 1 de março de 2016

Informações (ou a falta delas)

Do SMAS Guarda e da Águas de Lisboa e Vale do Tejo não houve até agora resposta às questões colocadas no mês de Dezembro passado. Se por parte do SMAS é costume, pelo menos a antiga Águas do Zêzere e Côa costumava responder de forma completa e em tempo útil.

Entretanto a Quercus informou que reuniu com a Águas de Lisboa e Vale do Tejo e divulgou os resultados da reunião. Contudo Águas de Lisboa e Vale do Tejo, não reagiu ainda às dúvidas levantadas por Esmeraldo Carvalhinho, comentador de "O Quarto Poder" da Rádio Altitude, sobre a qualidade do tratamento do efluente da ETAR de São Miguel.

Formulo ainda assim a pergunta: ter-se-à perdido este bom hábito (prestar contas e informar os cidadãos) com a reestruturação das empresas de Água levada a cabo pelo anterior Governo? Afinal, a sede ser na Guarda não serve nada ao contrário do que tentaram fazer acreditar.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

"Descargas poluentes no rio Noéme continuam", in O Interior

Na edição de O Interior desta semana, uma notícia sobre a poluição do rio Noéme e uma entrevista a Bruno Almeida, dirigente da Quercus sobre o mesmo tema.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Reunir as partes

Passado todos estes anos de rio Noéme poluído, passado metade do mandato autárquico, o melhor que Álvaro Amaro tem a propor para a despoluição do rio Noéme é "reunir as partes".

E diz, sem se rir, que se declara de importância estratégica.

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Poluição no rio Noéme no Quarto Poder da Rádio Altitude


No Quarto Poder (programa de debate na Rádio Altitude), foi discutida a poluição do Rio Noéme (entre os minutos 1:06:15 e 1:35:16). 

Tiago Gonçalves, um dos intervenientes, manifestou-se frontalmente contra o problema, a inércia das entidades e os poluidores. O Tiago é de Vila Mendo e sabe o que é o Rio Noéme poluído e como isso afecta as populações. Esmeraldo Carvalhinho, outro dos intervenientes, assinou à época a declaração que autoriza a "Sociedade Têxtil Manuel Rodrigues Tavares" a ligar os seus efluentes domésticos e industriais (respeitando os limites máximos de emissão) ao Colector Municipal e garante que a fábrica tem uma unidade de pré-tratamento para tratar os resíduos ("tenho a certeza, eu vi", diz), não sabe se funciona ou não. Acrescenta também que a ETAR de São Miguel, Torrão e Alfarazes devem ser monitorizadas para se saber se funcionam bem, tendo no entanto dúvidas sobre a qualidade do tratamento dos efluentes da ETAR de São Miguel.

Continua a questão: porque não se resolve o problema?

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

"Governo ameaça encerrar empresas poluidoras do Tejo", in Diário de Notícias

Exigem-se penas pesadas e que estas medidas não se fiquem só pelo Rio Tejo.
A notícia do Diário de Notícias pode ser lida aqui.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Entrevista na Rádio F a Bruno Almeida, dirigente da Quercus, sobre a poluição do rio Noéme

Pode ser ouvida aqui (entre os minutos 05’20’’ e 10’12’’).
A notícia também está publicada aqui.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Sobre a actividade dos deputados eleitos pela Guarda

Não obtive resposta aos emails aos deputados eleitos pela Guarda (Santinho Pacheco do PS e Carlos Peixoto do PSD) sobre a poluição do rio Noéme. 

Fui verificar no site do Parlamento a actividade parlamentar dos eleitos pela Guarda, não fosse ter-me escapado alguma intervenção sobre o assunto. Nada foi dito ou questionado sobre o tema.

Deixo aqui os links sobre o que têm andado a fazer os deputados eleitos pela Guarda nesta legislatura:

- Ângela Guerra (PSD)
- Carlos Peixoto (PSD)

São poucos os temas da Guarda trazidos ao Parlamento. Se são pouco importantes, porque se dão ao trabalho os candidatos de virem em campanha distribuir beijinhos e promessas em período de campanha eleitoral?