segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

domingo, 24 de fevereiro de 2019

"50% dos carros do Estado serão elétricos", in Diário de Notícias

Aprecio em geral o trabalho do Ministro do Ambiente. Esta entrevista mostra-o conhecedor dos temas prementes, dos dossiers e do que tem de ser feito. A sua acção sofre contudo do mesmo problema existente nas políticas ambientais a nível global: demoram décadas a produzir efeito.

Medidas positivas, como o fim dos plásticos, o fim dos carros a gasóleo, o aumento dos impostos sobre produtos petrolíferos, as apostas governamentais em energias limpas e renovavéis... têm um impacto financeiro muito elevado e atingem sobretudo os mais desfavorecidos da sociedade e as classes médias. Penalizando-as, deixam a causa ecológica. Por outro lado, as notícias dão-nos conta todos os dias de poluição a sério, de grandes poluidores e a percepção que fica é que com esses ninguém se mete. Veja-se o caso do rio Noemi.  

Os Governos e as Câmaras Municipais precisam dar o exemplo. Antes de proibir a entrada de carros nas cidades, deve ser configurada uma rede eficiente de transportes públicos. Se é para se acabar com o gasóleo então que os autocarros e as frotas governamentais sejam eléctricas. Se é para se penalizar um particular que deita lixo na floresta ou que não tem os seus terrenos limpos então que os grandes poluidores sejam severamente punidos. Defendo as revoluções tranquilas no dia-a-dia e as medidas radicais contra aqueles que pudendo fazer de outro modo, deliberadamente destroem o Ambiente (porque se sente protegido). Por último, acabar com afirmações patetas como estas do secretário de estado Galamba: se tornar a repeti-las na Guarda é levá-lo a banhos ao Noéme.


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

E a seguir?

Sabendo-se que a Natureza é o que é... 
Uma vez concluída esta fase dos trabalhos, está contemplada a devida manutenção para que continue assim por muitos e muitos anos?

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

"Rio Noéme: concluídos trabalhos de limpeza arbórea", in mun-guarda.pt

"No âmbito da requalificação dos ecossistemas ribeirinhos afetados pelos incêndios florestais de 2017, o Municipio da Guarda tem dado cumprimento às intervenções previstas no Protocolo estabelecido com a Agência Portuguesa do Ambiente, com financiamento do Fundo Ambiental."

Notícia completa aqui.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

"La odisea de un pueblo que luchó por el agua", in El País

""Puedes ser de una religión, de un partido, pero cuando se trata de algo tan preciado como el agua, todo el mundo se une", explica Juan Manuel Reyes, presidente de la Junta General de Agua del municipio."

Deveria ser um exemplo a seguir na Guarda.

Pode conhecer-se a história completa aqui.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Poluidor-Pagador?

Na reportagem da SIC que partilhei neste post, dizia-se que o Ministério do Ambiente defendia neste caso a aplicação do poluidor-pagador, para não permitir a intervenção pública.

Porque não se aplica efectivamente este princípio em todas as situações, doa a quem doer, nomeadamente no rio Noemi?

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

"Américo Rodrigues é o novo director-geral das Artes: "Venho de um terreno difícil"", in Público

Ontem escrevia neste post que rica era a Cidade que punha de lado os seus melhores. Estava longe de adivinhar a notícia de hoje: Américo Rodrigues será a partir de dia 13 de Fevereiro, Director-Geral das Artes.

"Venho de um terreno difícil, agreste, e se conseguir levar esta informação que tenho de base para o interior de uma entidade como a DGArtes acho que já estarei a dar um contributo.", diz.

Fará concerteza um bom trabalho. Parabéns e força para este novo desafio.









quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Concelho - Capital Europeu da Cultura

A Guarda quer ser Capital Europeia da Cultura e ao que dizem as notícias os municípios vizinhos apoiam essa pretensão. A Guarda, centralidade da grande região que vai de Miguel de Unamuno a Miguel Torga.

Mais que "Cidade Capital Europeia da Cultura", a Guarda deve envolver o conjunto do seu território, as suas aldeias, a cultura dita erudita e a cultura popular. O Património das aldeias, material e imaterial. Havia muito trabalho feito vindo de trás: os "Cadernos do Fio da Memória",a revista "Praça Velha" os Ciclos, as exposições, o projecto cultural do TMG.. muita coisa há sobre o concelho disponível na Livraria Municipal e na BMEL. E muita coisa há por fazer. A propósito permitam-nos um aparte: que candidatura séria é esta que deixa de fora Américo Rodrigues...muito rica é a Cidade que se dá ao luxo de pôr de lado os seus melhores.

Mas voltando ao que nos traz aqui, é preciso sensibilizar as pessoas, envolvê-las para que tomem o seu processo como seu, recolher os seus contributos e ideias, trazê-las para esta candidatura. Se isso for conseguido, situações como esta deixarão de acontecer: esta Alminha está caída num caminho do Rochoso há 4 ou 5 anos. A continuar assim, desaparecerá. Este é o principal desafio desta candidatura: se não for ultrapassado, serão somente pedras caídas.


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

"Durante este ano de 2019, mais 14 localidades do concelho da Guarda vão ter rede de saneamento básico", in Rádio F

"Ainda no âmbito das intervenções da rede de saneamento no concelho, Sérgio Costa diz que já estão a ser dados passos importantes para a despoluição do Rio Noéme com a requalificação da ETAR do Torrão." diz-se na notícia da Rádio F.

Ficou por esclarecer se os poluidores privados, que disse em tempos ter identificado, já deixaram de poluir o rio Noemi.