segunda-feira, 23 de maio de 2016

"As novas aventuras de Cousteau", in Visão

Neste interessante artigo da Visão a propósito do documentário de Alexandra Cousteau, "For the Love of Fashion", é dito a dada altura que "podemos prever as cores da próxima estação pela cor dos rios na China". O documentário tem como tema a poluição das águas causada pelo tingimento do algodão usado nas roupas.

Se os rios da China nos dizem as cores que se vão usar na próxima estação, então o que diz o rio Noéme sobre a indústria e os empresários da Guarda; sobre os políticos e sobre a sociedade?




terça-feira, 17 de maio de 2016

Candidato à Câmara Municipal da Guarda

Alguém que sem peias de tipo algum possa na campanha afirmar inequivocamente que no primeiro dia de mandato fechará a conduta municipal que despeja efluentes industriais no rio junto à Gata, terá com certeza um bom perfil para o cargo.

Não precisa de grandes proclamações sobre Ambiente ou despoluição em geral. Só isso: que vai fechar a conduta. Fazendo-o, respirar-se-à melhor (naquele local, como na Guarda).

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Crónicas do Noéme - 7 anos

"Se todos os rios são doces, de onde o mar tira o sal?
Como sabem as estações do ano que devem trocar de camisa?
Por que são tão lentas no inverno e tão agitadas depois?
E como as raízes sabem que devem alçar-se até a luz e saudar o ar com tantas flores e cores?
É sempre a mesma primavera que repete seu papel?
E o outono?... ele chega legalmente ou é uma estação clandestina?"

                                                                                                                   Pablo Neruda

Expôr o absurdo de existir um rio poluído há mais de trinta anos na Guarda, num Portugal supostamente europeu. Retirar da clandestinidade um local de descargas poluentes frequentes. Dar nome aos protagonistas, às coisas, tornar as situações tema de conversa.

As grandes religiões têm a água como fonte de vida e os rios como lugares sagrados. Qualquer pessoa, mais ou menos devota, mais ou menos apreciadora do belo, mais ou menos sensível, mais ou menos instruída considera um rio poluído um atentado. Uma anormalidade. Uma aberração.

Ainda assim, há quem tome este rio como coutada sua e há quem permita que isso aconteça. Um dia mais em que ocorra uma descarga poluente no rio, é um dia mais em que a Natureza violentada não se regenerará.

Este rio chama-se Noemi e é nosso como o foi dos nossos antepassados. Por ele se iniciou esta luta e continuará. Foi há sete anos, como poderia ter sido há trinta. Continuará enquanto não voltar a ser de todos.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

"Urgentemente", Eugénio de Andrade

"É urgente inventar a alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras."

Eugénio de Andrade

sábado, 7 de maio de 2016

Um PM na Guarda (2)

Terá vindo um chefe indígena despoluir o rio Noéme?


Foto retirada do jornal O Interior online.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Um PM na Guarda

Há um ano escrevi sobre a visita do então Primeiro-Ministro à Guarda para inauguração da Feira Ibérica de Turismo (FIT). Agora o Primeiro-Ministro é outro, mas também vem inaugurar a FIT.

Então como agora (no fim-de semana passado) continuam as descargas poluentes no rio Noéme.